ROSA CAÍDA.

rosa UMA ROSA CAÍDA OU DESFOLHADA, PODE PASSAR A SER PÉTALA MAS NUNCA DEIXA DE SER ROSA!

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Ainda me apetece chorar...


Apetece-me chorar.

Apetece-me deitar para fora anos e anos de ódio e mágoa que as pessoas guardam de mim.
Nem todas as pessoas. Apenas as que me amaram. E que decidiram que o amor que lhes dediquei era pouco e que queriam mais do que eu na altura, e talvez ainda agora, possa oferecer a alguém.
Hoje despediste-te de mim. Ele também. Ele tem apagado de mim as memórias de um tempo em que éramos dois e que nunca fomos um.
Ainda assim guardei memórias que ele agora insiste em pintar de vermelho. Vermelho rubro de dor e sarcasmo. Ele mastigou tudo o que poderíamos ter dito um ao outro.
Ficou assim, suspenso.
Tu não. Tu sabes em mim as palavras que ainda são tuas. As que não sei dizer. As que escondo de ti e dos outros e de todas as pessoas.
Conheces-me.
Despediste-te de mim, com o poema que tantas vezes ansiei e que não continha as palavras que sonhei ler nele.
Um dia pedi-te que me escrevesses. E tu disseste que não sabias, que as palavras eram punhais que te rasgavam as pálpebras e te confundiam os sentidos ao ponto de deixares de reconhecer o teu próprio rosto e o teu destino.
Hoje deste-me um poema como quem dá uma lágrima.
Espelhaste nele o vazio que construíste para nós. Durante anos procurei o teu colo e a tua voz e o conforto manso do teu peito. Ainda que o teu peito nunca me tenha servido de colo. Ainda assim. Era no teu peito que apagava todas as dores de estar viva e pulsar e sentir e ser eu.
Hoje deste-me um poema como quem dá um grito.
A romper o silêncio. O silêncio que disse tanto e que não nos diz nada mais que não saibamos já, e não tenhamos escrito em papel violeta que deixámos voar e perder-se no lago pesado e azul.
Hoje deste-me um poema e deixaste o teu corpo morto nos meus braços. Num último suspiro.
Amei-te como nunca mais saberei amar ninguém. Amei-te com a força dos corpos que nunca se tocaram e o mistério dos abraços que se esqueceram no tempo.
Amei-te como todos quiseram ser amados e eu não podia e não sabia amar ninguém mais além de ti.
Hoje deste-me um poema e em troca levaste o amor que me susteve anos a fio. Deixaste-me aqui, sozinha, sem memórias, sem as tuas mãos e sem o teu rosto que me apagava as lágrimas cansadas em dias de chuva e noites de sal.
Ainda me apetece chorar... Ainda me apetece chorar... Francamente, ainda me apetece chorar.


Se eu tivesse dito "amo-te" e tivesse violado o teu corpo e tivesse arrancado a tua alma e tivesse gritado no teu quarto e tivesse rasgado os teus olhos e tivesse feito tudo ao contrário e tivesse esquecido todas elas, todas as mulheres que deslizaram nos teus braços e tivesse esquecido que me disseste que as amavas e tivesse esquecido que disseste que eras velho e cansado e gasto e tivesse revivido o menino que me deste um dia e te tivesse beijado loucamente e tivesse deixado o meu corpo nu nos teus braços e tivesse chorado e chorado e chorado todas as lágrimas que um dia semeaste em mim e tivesse pedido que ficasses... Ficavas?

Francamente, ainda me apetece chorar... 

sexta-feira, 15 de julho de 2011

De frente para a vida....


da terra
já nada se via
dos passos curtos
...rente à margem
do rio vivo
delineado de espuma
corria um duplo colorido
festival de branco tingido
e a banda passava a correr
na corrente sem vagar
nem plateia desejada
o destino
tão somente desconhecido
das escamas beijadas
pela força das águas
que teimavam
em nadar
de frente
para a vida
(NAF)

quinta-feira, 21 de abril de 2011

BOA PASCOA


Papá, o que é Páscoa?


- Ora, Páscoa é...... bem...... é uma festa religiosa!
- Igual ao Natal?
- É parecido. Só que no Natal comemora-se o nascimento de Jesus, e na Páscoa, se não me engano, comemora-se a sua ressurreição.
- Ressurreição?
- É, ressurreição. Marta, vem cá!
- Sim?
- Explica ao teu filho o que é ressurreição para eu poder ler o meu jornal.
- Bom, meu filho, ressurreição é tornar a viver após ter morrido. Foi o que aconteceu com Jesus, três dias depois de ter sido crucificado. Ele ressuscitou e subiu aos céus. Entendeu?
- Mais ou menos ........ Mamã, Jesus era um coelho?
- Que é isso menino? Não diga uma coisa dessas! Coelho! Jesus Cristo é o Pai do Céu! Nem parece que este menino foi batizado! Jorge, este menino não pode crescer assim, sem ir a uma missa pelo menos aos domingos. Até parece que não lhe damos uma educação cristã! Já pensou se ele diz uma barbaridade dessas na escola? Deus me perdoe! Amanhã mesmo vou matricular este menino na catequese!
- Mamã, mas o Pai do Céu não é Deus?
- É filho, Jesus e Deus são a mesma coisa. Vais estudar isso na catequese. É a Trindade. Deus é Pai, Filho e Espírito Santo.
- O Espírito Santo também é Deus?
- É sim.
- E os outros bancos, também?
- Sacrilégio!!!
- É por isso que a Ilha da Trindade fica perto de Espírito Santo?
- Não é o Estado do Espírito Santo que compõe a Trindade, meu filho, é o Espírito Santo de Deus. É uma coisa complicada, nem a mamã percebe muito bem. Mas se tu perguntares na catequese, a professora explica tudinho!
- Bom, se Jesus não é um coelho, quem é o coelho da Páscoa?
- Eu sei lá! É uma tradição. É igual a Pai Natall, só que ao invés de presentes ele traz ovinhos.
-Os coelhos poêm ovos?
- Chega! Vou fazer o almoço que é melhor!
- Papá, não era melhor que fosse galinha da Páscoa?
- Era, era melhor, ou então peru.
- Papá, Jesus nasceu no dia 25 de dezembro, né? Em que dia é que ele morreu?
- Isso eu sei: na sexta-feira santa.
- Que dia e que mês?
- ??????? Sabes que eu nunca pensei nisso? Eu só aprendi que ele morreu na sexta-feira santa e ressuscitou três dias depois, no sábado de aleluia.
- Um dia depois.
- Não, três dias.
- Então morreu na quarta-feira.
- Não, morreu na sexta-feira santa ....... ou terá sido na quarta-feira de cinzas? Ah, filho, vê se não me confundes! Morreu na sexta mesmo e ressuscitou no sábado, três dias depois! Como? Pergunte à sua professora na catequese!
- Papá, por que amarraram um monte de bonecos de pano lá na rua?
- É que hoje é sábado de aleluia, e o pessoal vai castigar o Judas. Judas foi o apóstolo que traiu Jesus.
- O Judas traiu Jesus no sábado?
- Claro que não! Se ele morreu na sexta!!!
- Então por que eles não castigam o Judas no dia certo?
- É, boa pergunta. Filho, atende o telefone para o papá. Se for um tal Rogério diz que eu saí.
- Estou, quem fala?
- Rogério Coelho Pascoal. O seu pai está?
- Não, foi comprar um ovo de Páscoa. Ligue mais tarde, tchau.
- Papá, qual era o sobrenome de Jesus?
- Cristo. Jesus Cristo.
- Só?
- Que eu saiba sim, por quê?
- Não sei não, mas tenho um palpite que o nome dele era Jesus Cristo Coelho. Só assim essa história do coelho da Páscoa faz sentido, não acha?
- Coitada!
- Coitada de quem?
- Da sua professora de catecismo-

............Recomendo a leitura da Biblia, para serem pais informados..........

 

sexta-feira, 18 de março de 2011

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Adeus Xaneca...


A Xaneca partiu e como diz a minha neta é
agora uma "estelinha no céu"...
Uma companheira inesquecivel que preencheu
a minha vida durante 15 anos...
Dava um "abraço" quase humano e apertava-se
contra mim como se quisesse fundir-se comigo.
-Combinei com ela muitas vezes que não
partiria antes de mim...que eu não aguentaria a dor!
Partiu....adeus Xaneca...minha gata amiga!!

domingo, 13 de fevereiro de 2011

O mais pequeno do mundo....


Pequenos ou grandes, eles entram na nossa vida
para a encher de alegria e bons momentos.
Quando partem deixam um vazio difícil de preencher.